sábado, 26 de novembro de 2011

I DOMINGO DO ADVENTO- INICÍO DO ANO B. DOMINGO, 27 DE NOVEMBRO

LEITURAS PARA O I DOMINGO DO ADVENTO
Primeira leitura: Isaías 63,16b-17.19b; 64,2b-7
Ah! Se rompesses os céus e descesses!
Salmo responsorial : Sl 79 (80), 2ac e 3b. 15-16. 18-19 (R/. 4) Iluminai a vossa face sobre nós, convertei-nos, para que sejamos salvos!
Segunda leitura: 1 Coríntios 1,3-9
Esperamos a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo.
Evangelho: Marcos 13,33-37
Vigiai: não sabeis quando o dono da casa vai vir
Inicia-se hoje o Primeiro Domingo do Advento, tempo da espera e da vigilância constante, pois receberá o menino Jesus para renovar a caminhada na fé do Senhor. Também é tempo de repensar as atitudes de cristão autêntico, capaz de renunciar muitas pegadas da vida que sem perceber, deixa de lado a verdadeira missão de evangelizar e anunciar um novo Reino de justiça e fraternidade.
As reflexões deste domingos alerta para o bem caminhar. Seguir o criador retamente e fazer a vontade do Pai. Caminhar na avenida certa, de modo geral, é abdicar de certos preceitos mundanos que atendem somente o memento presente. Nada contribui para o amadurecimento na fé e na jornada rumo ao céu. São as tentações que rodeiam a vida do cristão, elas são bem atraentes e convincentes, são coloridas e dão dicas de como ser poderoso diante dos pequenos e desvalidos. Assim, embebido pela volúpia do desejo em ser maior e conquistar mais prestígios, o homem troca Deus pelas falsas ilusões. Aliena-se com os prazeres da vida. Mas, quando se acorda para a vida pode ser tarde.
Contudo o caminhar do homem que busca a Deus é saber partilhar, amar e entregar-se para o Reino da Paz. Partilhar com os irmãos as alegrias de saber que descobriu um Deus que nada tem a temer, um Deus amigo e verdadeiro que sempre espera o consolo e a mansidão do coração do aberto para o acolhimento.
Assim, a espera do Menino Jesus deve ser comemorada com festas e aplausos. Porque se acredita que nova vida possa lhe trazer felicidades e um mundo cheio de esperança. Esperança de consolidar uma sociedade de paz, justiça e igualdade. Não tem outra opção para crer e esperar do novo: sempre se almeja espaço de tranqüilidade e prosperidade, mas que seja para todos, ou seja, coletivo.
Isaías já prevalecia de idéias do encontro com o novo. Porém, rechaçava a vigília constante para o bem acolhimento. Diz o profeta: vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos (v. 4). Praticar a justiça exige um esforço para o cristão. Sabe por quê? Porque a sociedade prega tudo ao contrário dos ensinamentos da Lei divina. A justiça do homem sempre preza o lucro, a morte, a tristeza e o desconforto de milhões de irmãos que vivem na marginalidade. A justiça do homem não carrega a alegria de um Deus presente e misericordioso; por isso que aceitar a justiça de Deus é difícil. Ela exige renúncia de todos os privilégios para amadurecer na caminhada. O homem não é nada diante do Criador se não voltar-se para o Sagrado. Isaías ainda afirma: todos nós nos tornamos imundície, e todas as nossas boas obras são como um pano sujo; murchamos todos como folhas, e nossas maldades empurram-nos como o vento (v. 5). Assim, tudo que o homem fizer na face da terra e não contemplar as vicissitudes do Criador, nada valerá a pena.
Lego engano pensa o homem de construir impérios e fortunas na vida. Para Deus nada adiantará se não estiver em sintonia com o Projeto vivificador de Jesus. Tudo se tornará imundície e folhas secas levada sem destino com o vento. Ao invés de crescer a arrogância em si, ficais vigilantes para o grande dia, porque o Senhor é nosso Pai que nos modela como oleiro pelas suas mãos, enquanto nós não passamos de um amontoado de barros nas mãos do Senhor.
Paulo foi outro missionário, profeta, apóstolo e anunciador das alegrias de Cristo. Não perdia tempo de disseminar as palavras de fé e da crença em Jesus. Tinha um amor profundo pelos ensinamentos recebidos. Tanto que abandonou sua vida pregressa de cobrador de imposto romano e perseguidor de cristão para tornar-se um homem de Deus. Homem vivo na fé e na esperança de um novo Reino. Pagou caro na vida pela nova atitude: foi preso, açoitado e morto pelos romanos. Mas deixou uma herança peculiar de motivação para conhecer este Deus-presente com proposta de vida nova. Ao escrever para a comunidade de Coríntios relata que nele (Cristo) fostes enriquecidos em tudo, em toda a palavra e em todo conhecimento, à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós. (v. 6) Não agüento e vou escrever: que lido pronunciamento!!! Que lindo testemunho!!! Somente quem realmente viveu esta dinâmica é capaz de falar de Cristo com dedicação e carinho. Paulo foi de opositor aos cristãos à amante de corpo e alma do povo de Deus. Isto é RENÚNCIA. Isto é ENTREGAR-SE. Isto é AMAR APAIXONADAMENTE.
Viver na vigília é não ter medo de falar de Deus. As coisas boas do Senhor devem ser anunciadas aos quatro cantos do mundo com veemência. As coisas boas de Cristo devem perpassar os limites das paredes das igrejas: todos têm que conhecer para não ficarem surpresos com a vinda do Senhor. Olha que Marcos evangelista adverte: Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento(v. 33). Não se sabe o momento em que irá apresentar para o Pai, talvez seja cedo, no meio da tarde, ao escurecer ou até ao amanhecer. Tem que ficar vigilante como empregado em sentinela para resguardar as coisas do patrão.
A parábola de Jesus é oportuna. Ao sair em viagem ao estrangeiro o patrão delegou tarefas aos seus subordinados e pediu que ficassem atentos, pois não saberia quando voltasse. Assim não pegaria os empregados dormindo, ou seja, descuidados das tarefas direcionadas. Jesus finaliza a parábola dizendo: O que vos digo, digo a todos: Vigiai! (v. 37). O sentido da palavra vigie é dar atenção redobrada para a fé. Enquanto cumpre-se a tarefa do dia-a-dia não se esquecer das obrigações de cristão: sempre servir com equidade e não querer somente para si as regalias de uma vida desregrada. A preparação para o grande dia não se faz de uma hora para outra, ou já no final da vida, a preparação se faz a vida toda. A preparação para aguardar o Pai é o amadurecimento na fé cotidianamente. A vigilância deve ser total. Não pode deixar enganar-se pelas facilidades da vida e trocar Deus por banalidades terrenas. A vida é uma conquista momentânea. A verdadeira vida acontecerá na plenitude após a morte terrena.
Portanto, prepare-se sua casa para receber o Deus da vida. Não saberá quando Ele vai chegar. Faça do mesmo modo quando está afoito para receber uma visita de um parente distante: prepare o quarto de hospede, lava bem a casa, enche a dispensa de alimentos e coloca o sorriso no rosto, pois a visita distante merece uma boa acolhida. Assim, faça a mesma coisa com o Pai: deixa o coração bem leve e sem mágoa com o irmão, arrependa-se dos pecados, zela pelas pessoas ao seu redor com amor, cumpre o papel de um cristão que quer realmente conhecer a verdadeira libertação num Reino de Justiça e feliz. Por conseguinte, jamais esquece: a vida terrena é passageira, pois a verdadeira vida se consolidará junto do Pai. Vigia sempre. Amém!
POR: Claudinei M. Oliveira.
http://homiliadominical.blogspot.com

Reações: 
Share This

Um comentário:

  1. Está de parabéns o seminarista Igor Sousa pelas suas colações! Haja vista, serem elas bastantes esclarecedoras e de suma importância para nós cristãos. Fez bem o referido seminarista ao colocar que "A vida é uma conquista momentânea. A verdadeira vida acontecerá na plenitude após a morte terrena". As vezes esquecemos que estamos na terra de passagem e que aqui é o momento oportuno de nos prepararmos para a vida plena. O momento de renunciarmos as coisas mundanas é agora! Que possamos pensar nisso com mais afinco queridos irmãos (ãs).

    ResponderExcluir