sexta-feira, 14 de outubro de 2011

XXIX DOMINGO DO TEMPO COMUM 16 DE OUTUBRO DE 2011

Hoje em dia são muitas as honras que se dão àqueles que possuem bens com tamanha grandeza na sociedade, tendo em vista suas qualidades e suas atribuições. Observamos que no mundo político e religioso há muita diferença: o político preserva aquilo que lhe possa trazer favorecimentos diante dos status que lhe são concedidos através de qualificações próprias, ou seja, obedecendo àqueles que possuem mais, sem olhar a aparência do próximo e não observando, no rosto do irmão mais sofrido, o próprio Cristo; o religioso busca para sua vida Deus, sem olhar as aparências que cada um tem; sempre dando a Ele suas honras e favorecimentos. No entanto, percebemos este relato no evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus 22, 15-22. Este Evangelho narra o que devemos dá a Deus e a César. Devemos olhar profundamente cada versículo para não perdemos o entendimento da leitura.

O relato se dá mediante Jesus, os fariseus e os partidários de Herodes, que manda seus discípulos para apanhar o Mestre em algumas de suas palavras. As palavras que Jesus dirige a estes é uma forma de como eles devem retribuir diante da sociedade e de Deus; dando a Deus o que lhe pertence e a César o que lhe é cabível. Sabendo que Deus olha o nosso coração quando oferecemos o que temos, sem olhar nossas aparências; e não ao contrário dos fariseus e os partidários de Herodes, que viam no outro o que este tinha de melhor para oferecer, ou seja, o dinheiro era a melhor maneira de pagar o imposto ao império, sem olhar o essencial do ser humano e suas necessidades de cada dia. Jesus é posto há um interrogatório feito por estes que visam só o bem próprio, são individualistas e buscam suas honrarias quando fazem os que os outros colaborem de forma forçada.

O que devemos viver segundo esse evangelho? Deus merece de cada um de nós, os nossos favores em primeiro lugar. O poder público merece seu imposto de acordo com suas necessidades. Devemos, pois,dar o que ele merece realmente; sendo assim cristãos-cidadãos que vejam a sociedade com bom olhos, tentando ser sal e luz para transformar a mesma.

IGOR DE SOUSA SILVA

SEMINARISTA DA DIOCESE DE PARNAÍBA.

VI PERÍODO EM FILOSOFIA


Reações: 
Share This

0 comentários: