quarta-feira, 13 de julho de 2011

Bispos debatem teorias da comunicação no SECOBB

SecobbFaxinaMWiltonTeorias da comunicação foram o tema estudado pelos bispos na manhã de hoje, no 1º Seminário de Comunicação para Bispos do Brasil (SECOBB), no Centro de Formação Sumaré, no Rio de Janeiro. Os professores Elson Faxina, da Universidade Federal do Paraná, e Mauro Wilton de Souza, da Escola de Comunicação e Arte (ECA/USP), apresentaram o tema, debatido, em seguida, pelos bispos em grupos.

O professor Mauro Wilton definiu a comunicação como “processo da alteridade, datado no tempo e na história, que carrega consigo a contextualidade onde ele se dá”.

Wilton insistiu que o modo de ver a comunicação e o lugar da técnica na comunicação passam pela compreensão da sociedade em que a pessoa está. “Comunicar passou a própria forma de subsistir”, disse o conferencista.

O professou ressaltou o processo de mutação que marca a sociedade atual, caracterizada pelo mundo globalizado e pela diversidade cultural. "Hoje, em quaquer lugar do mundo, muito das manifestaçoes locais são globais. Somos interdepententes", observou. Ele lembrou que ovas estruturas de poder e, sobretudo, o multiculturalismo são características deste mundo globalizado.

Faxina, por sua vez, lembrou as várias teorias de comunicação como a hipodérmica, a funcionalista, a crítica e os estudos culturais.

O Seminário, que começou ontem, 12, reúne 62 bispos e prossegue até sábado, 16. Na tarde desta quarta-feira, 13, os bispos discutem "Cibercultura, redes sociais e crimes na internet". A conferência é feita pela delegada da Polícia Civil titular da Delegacia de Repressão aos crimes de informática, Helen Sardenberg, do Rio de Janeiro.

Acompanhe o Seminário pelo twitter da CNBB e veja as fotos no Flickr.


Reações: 
Share This

0 comentários: