quinta-feira, 2 de julho de 2009

ANO SACERDOTAL

“A Igreja caminha com os pés dos Padres”. Na festa do Sagrado Coração de Jesus, no dia 19 de junho de 2009 a Igreja proclamará o início do Ano Sacerdotal, em sintonia com os 150 anos da morte de São João Maria Vianney ou Santo Cura d`Ars, como é conhecido o padroeiro até então dos párocos, mas que o será também do todos os padres.
Neste Ano Sacerdotal a Igreja quer ir ao encontro dos padres, das suas necessidades, para que eles possam compreender-se a si mesmos e a realidade atual, pois como disse Dom Cláudio Hummes, presidente da Congregação do Clero: “A Igreja caminha com os pés dos Padres”. O tema escolhido é: «Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote».
A Igreja deseja que seja este Ano Sacerdotal celebrado no mundo todo e em cada diocese. Quer que seja um ano positivo e prepositivo, ou seja, um ano para se destacar o grande valor do padre e apontar caminhos para sua realização, para um cumprimento feliz de sua missão. Com isso a Igreja quer dizer ao mundo que ama e admira seus padres, pois fazem um trabalho belíssimo na Igreja e também na sociedade. A Igreja pede aos fiéis para rezarem com os padres e por seus padres especialmente neste ano. A Igreja deseja também rezar pelas vocações, pois precisa de mais padres santos, provindos de famílias enraizadas no cristianismo e dispostos e enfrentar todos os problemas desse mundo e testemunhar o amor do ressuscitado.

Os padres têm a missão de ajudarem as pessoas a fazerem um encontro pessoal com Jesus Cristo, o Salvador, é aí que deve estar a fonte de alegria e realização do padre. Isto só é possível com a ajuda da graça de Deus a quem o padre deve estar sempre muito próximo. Se faltar este encontro pessoal com Jesus a moral e a doutrina se tornam impositivas e arbitrárias. Este Ano Sacerdotal foi motivado e quer refletir alguns fatos importantes:
1. A nova realidade cultural na qual os padres se encontram. Temos consciência de que a cultura pós-moderna com seu relativismo, urbanismo, secularismo, hedonismo, etc. se tornou um desafio para o padre, que nesta cultura, precisa viver sua vocação. O padre é fruto desta cultura e por ela, com certeza, é continuamente influenciado. Para tanto o Ano Sacerdotal que ajudar os padres a fazerem uma profunda reflexão sobre esta cultura, conhecer suas origens, suas características, pois só assim poderão entender melhor a si mesmos e o mundo que eles devem conduzir a Jesus Cristo.
2. Realidades específicas. Algumas questões que tocam a realidade dos padres. Primeiramente o fato da diminuição do número de padres, diante do crescimento da população. Somos em torno de 407 mil padres no mundo todo. Outro dado é o envelhecimento dos padres. A idade média está mais alta, principalmente na Europa. Outra questão é uma certa campanha feita na mídia para desmoralizar os padres. Os dados dizem totalmente o contrário: 96% dos padres cumprem com zelo e dignidade sua missão.
3. Buscar aprofundamento espiritual. Percebe-se a necessidade de aprofundamento espiritual dos padres. Somente com uma profunda espiritualidade o padre pode encontrar-se neste mundo e ser feliz. Pois, para esta cultura ser padre não tem mais sentido. O padre precisa redescobrir o discipulado, ser um verdadeiro discípulo de Jesus. Refazer sua adesão a Ele, entregar-se sem reservas. Como disse Dom Cláudio: “muitos sabem fazer as coisas de padre, mas não ser padre”.
4. Redescobrir a missionariedade. Muitos padres foram educados para serem párocos e se fecham em função de uma comunidade. O padre precisa sentir-se enviado à todos, principalmente a aqueles que estão fora da comunidade.
5. Formação Permanente. Rever, com as dioceses, este processo de formação permanente, pois toda pessoa precisa de formação até o fim da vida. Ainda mais quem está à frente da comunidade. “Quando se fica ultrapassada a pessoa se torna autoritária” e acaba prejudicando a comunidade e muitas vezes impedindo que a mesma cresça.
6. Sustento do clero. Cuidar para que os padres tenham condições dignas para seu trabalho.
7. Afetividade. Redescobrir o dom do celibato, viver a fraternidade presbiteral, rever e fortalecer a relação entre os padres e seus Bispos, favorecendo o crescimento do amor fraterno no presbitério diocesano. Cada diocese deve prover eventos que favoreçam este objetivo.
Durante este Ano Sacerdotal está prevista a publicação de um «Diretório para os Confessores e Diretores Espirituais», assim como de uma «Recopilação de textos do Papa sobre os temas essenciais da vida e da missão sacerdotais na época atual». Dentre os muitos eventos que acontecerão em Roma um especialmente está chamando a atenção: será um encontro mundial dos padres em junho de 2010, junto ao Santo Padre o Papa. Deverá ser um sinal de fraternidade, amor a Igreja e unidade com o Papa, que representa a cabeça deste corpo do qual todos fazemos parte.
Fonte: Pe. Ivanor Macieski

Reações: 
Share This

0 comentários: